O QUE É?

O implante dentário é um suporte ou estrutura metalizada que tem posicionamento cirúrgico, na região óssea da maxila ou mandíbula,  situado abaixo da gengiva, para fazer a função na substituição da raiz do dente. Ao serem introduzidos, permanecem no arco dentário para que o especialista possa, a partir deste momento, realizar a montagem dentária e assim substituir os elementos perdidos por artificiais com função e forma definidas.

COMO É FEITO?

Por se tratar de um elemento integrado à região óssea, o implante dentário oferece suporte com estabilidade para dentes de teor artificial. A prótese (dente) é totalmente montada e parafusada em cima do implante, não escorrega e nem altera o posicionamento bucal, sendo uma grande vantagem ao longo da mastigação e fala.

O implante dentário com a prótese oferece ao paciente um elemento mais seguro em toda a funcionalidade da boca, de modo a proporcionar cenários de maior naturalidade do que dentaduras tradicionais ou pontes.

Para determinados indivíduos, as dentaduras e próteses são muito desconfortáveis ou, ainda, inviável em razão da ausência de adaptações a estes sistemas.

Ainda, pontes comuns precisam ter ligação aos dentes em todas as direções do espaçamento pelo dente que está faltando. A partir da aplicação de implante, não há a necessidade de preparação ou desgaste do dente natural para um apoio dos que fazem a substituição, como é realizado em pontes tradicionais fixas.

Para realizar o implante, há a necessidade de disponibilizar o tecido gengival saudável e elementos ósseos adequados para a sua sustentação. A higienização da boca deve ser cautelosa e as visitas aos especialistas da odontologia são fundamentais para um resultado duradouro.

O implante dentário, de modo geral, custa mais do que outras técnicas que substituem os dentes e grande parte de convênios costumam não cobrir os valores estipulados.

TIPOS

São vários os destaques que os profissionais de odontologia oferecem para implantes dentários. Aqui estão alguns exemplos que podem corresponder ao tratamento necessário:

IMPLANTE CURTO

Os implantes curtos e os implantes estreitos são ótimas soluções para casos complexos, como pouca altura ou espessura óssea e espaço pequeno entre dentes.

Um implante de sucesso tradicional depende do quantitativo de elementos ósseos disponibilizados, e da região estrutural do osso que o implante terá a sua introdução. O quantitativo e o teor de qualidade do osso se relacionam de forma direta com a fixação estável.

O implante curto foi desenvolvimento para ser uma opção para quem tem déficit óssea e, não quer a submissão e intervenções de enxerto que procedem o tratamento de forma mais cara e demorada. A perda do osso é provocada pela presença de bactérias que criam ao redor do elemento dentário a placa bacteriana que, em excesso, prejudica o osso e a sustentação dos tecidos, criando a doença chamada de periodontite.

Tal perda é suscetível também de ser provocada pela ausência de dentes prolongada, pela utilização contínua de próteses com remoção ou, ainda, pelo simples envelhecer natural.

A partir dos implantes curtos, há a possibilidade de que se evite, em algumas situações, o procedimento de enxerto. O tratamento superficial, espirais e pontas são, de forma específica, disponíveis para as áreas que têm déficit óssea.

Ao utilizar o parafuso curto, enxertos do osso não têm necessidade. A categoria deste implante tem dimensão muito reduzida e perfurações estruturais do osso de forma mínima.

Ainda que a dimensão tenha redução, o grau de estabilidade traz muita satisfação como os tradicionais.

IMPLANTE EM TITÂNIO

Ao longo de épocas vários dentistas estudaram e buscaram produtos adequados para a formação de implantes de dentes. O intuito do estudo efetivo e prolongado é de que, diversos produtos disponibilizados na natureza fazem a seleção do que melhor tem adaptação e soluções para especialistas e pacientes. Objetiva-se que facilite as intervenções cirúrgicas, bem como o aumento do tratamento duradouro.

O titânio, de forma pura, é o que mais se utiliza. Há, contudo, outras alternativas e diversas categorias do implante, ainda que o seu uso tenha escala reduzida.

O titânio é um produto com alta resistência em relação ao tempo. Possui certificação de material que consegue resistir de forma eficaz ao procedimento corrosivo. É um elemento metalizado que se solidifica à temperatura normal. Trata-se de metal muito duro, leve e de cor esbranquiçada em metal. O elemento traz a biocompatibilidade com o organismo humano, de forma a minimizar possíveis rejeições.

IMPLANTE EM CERÂMICA

A colocação de implante em cerâmica a partir da medicina odontológica surgiu faz pouco tempo, e portanto, há pouca utilização ainda.

Implante em zircônio

Um material inovador que pretende ser a nova descoberta odontológica, porém, até o  momento, só alguns estão utilizando. Em virtude de ser uma inovação, ainda não há estudos que concluam o tempo de duração e resistência na região bucal.

A coloração de tal implante é branca, que se assemelha muito aos dentes e raízes. Desse modo, em questão estética, é possível atingir bons resultados.

Um produto de resistência com o tempo, que não se submete a oxidar e corroer, apresenta muitos detalhes que favorecem a estrutura do que é necessário para o implante.

Resiste aos elementos de tensão como, por exemplo, o ato de mastigar. Não há desconforto. São extremamente confortáveis e atóxicos.

Tudo isso acaba se tornando fatores que agem na contribuição para que o implante em zircônio possa fazer a substituição precisa para a raiz natural dentária ausente.

IMPLANTE NANOTECNOLÓGICO

Em diversas épocas, acontece o surgimento de inovação conectada à medicina odontológica e de implante dentário. Tratar a superfície de implantes, agindo em grandes partes, poderá determinar o teor de sucesso que se obterá nos procedimentos cirúrgicos.

Por isso, a nanotecnologia em aplicação de tratamentos nas superfícies de implante dentário agem em contribuição para o aumento de excelência para cicatrizar e aprimorar de maneira substancial a composição do osso.

IMPLANTE BIOLÓGICO

O implante biológico é o resultado de investigações de décadas. Estudiosos revelaram, a partir do princípio da medicina odontológica da biologia, que os tratamentos necessitam ser realizados de acordo com os passos da biologia dos humanos, de modo a garantir uma maior satisfação.

A odontologia requer o aproveitamento de procedimentos naturais de reparação e cicatrização do organismo. O implante biológico é produzido a partir de produtos que tenham compatibilidade com o corpo e processos que se destacam de teor menor em relação a invasividade. Dessa forma, há também uma aceleração óssea de cicatrização e integração.

São constituídos por um elemento único, em oposição aos outros tradicionais, que liga o componente ósseo ao dente novo.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

AGENDE SUA AVALIAÇÃO

Complete o formulário abaixo e nosso atendimento irá entrar em contato o mais rápido possivel para fazer a confirmação. Agradecemos a preferência.

WhatsApp Fale Conosco